PERSONALIDADE GASTRONÔMICA

Jaime José de Barcelos

Manezinho de Ribeirão da Ilha, o empresário tornou-se referência quando o assunto é ostra, o carrochefe de seu Ostradamus

Jaime José de Barcelos, chef e proprietário do Ostradamus

Jaime José de Barcelos, chef e proprietário do Ostradamus

17.nov.2014 16:18:52 | por Natalia Horita
Ele não é de Portugal, mas seu sotaque faz lembrar a fala típica daquelas terras. A razão para o curioso contrassenso é que Jaime José de Barcelos nasceu e cresceu em Ribeirão da Ilha, vila ao sul de Florianópolis conhecida como um dos mais antigos núcleos da colonização açoriana. Foi também ali que Barcelos fundou seu bem-sucedido restaurante Ostradamus, premiado nesta edição como a melhor cozinha de peixes e frutos do mar. No fim dos anos 90, teve a iniciativa visionária de transformar sua pequena venda de cachorro-quente e água de coco em uma casa dedicada às ostras. A estratégia era investir cada centavo ganho em melhorias para o negócio. Sua trajetória foi ascendente: construiu um trapiche que chega até o mar e abriga as mesas mais disputadas, ergueu uma adega no subsolo da casa e envidraçou a cozinha. A estrutura ficou completa quando,
em 2004, comprou um depurador para cuidarda higienização dos moluscos. Comum em países como Nova Zelândia e Japão, o aparelho filtra e incide radiação ultravioleta nas ostras, que permanecem por doze horas nesse processo de limpeza antes de ser servidas in natura ou gratinadas (R$ 37,50 a dúzia). O conhecimento sobre o tema foi conquistado de forma autodidata, mas Barcelos credita parte dele à vivência entre pescadores na infância. “Costumo dizer que entendo de frutos do mar, em parte, graças ao DNA. Minha mãe era ligada à pesca feita com linha e rede, bem artesanal e minuciosa”, diz. Por sua preocupação com a integridade dos produtos
servidos no Ostradamus, o empresário de 49 anos que se tornou referência no assunto recebe de VEJA SANTA CATARINA o prêmio especial de personalidade gastronômica.