Gastronomia

Um banquete africano

Aos domingos, o Ajeum da Diáspora serve trinta pessoas, mediante reserva. Não deu tempo de agendar? Seguem duas opções para comer em casa mesmo

A galinhada com pirão de mocotó da cozinheira Angélica: receitas de família

A galinhada com pirão de mocotó da cozinheira Angélica: receitas de família

12.dez.2014 16:05:27 | por João Barreto

Na língua iorubá, a palavra ajeum significa comida (ou o próprio ato de comer) e tem forte ligação com a noção de oferenda ao próximo. Com esse espírito, o Ajeum da Diáspora recebe, somente aos domingos, trinta comensais para uma refeição de inspiração africana. O restaurante funciona na própria casa da cozinheira e anfitriã Angélica Moureira, nascida em Itaquara, interior da Bahia. Na etapa principal, a estrela é uma galinhada temperada de véspera, servida ao lado de quiabo sobre um pirão preparado com caldo de mocotó. A batida de cachaça, tamarindo e cebolinha abre o apetite. “É comida afetiva, que minha mãe e minha avó faziam. Acrescento uma estética mais contemporânea, mas a base do tempero é a mesma que recebi da minha família”, diz Angélica. O almoço custa R$ 30,00 por pessoa e é preciso reservar com antecedência.

Rua Amparo do Tororó, 157, Tororó, 9160-8933 e 8843-2230. 13h/17h (dom.).

 

MAIS:

 

Delivery natureba

O pão é artesanal, feito com farinha integral. O hambúrguer pode ser de tofu ou de grão-de-bico com especiarias. A maionese, também de fabricação própria, dispensa o ovo e leva leite de soja e óleo da flor de algodão. Avessa ao uso de proteína animal, a Divegana faz entregas desde abril de 2014 e se tornou um prato cheio para quem quer um fast-food “do bem”. O lanche acrescido de saladinha sai por R$ 15,00 e fica ainda melhor na companhia do refrigerante de xarope de guaraná mais limão e água com gás (R$ 7,00, 300 mililitros). Esperta, a marca não cobra taxa de entrega, que é feita de bicicleta para não poluir o ambiente.

3016-0770 e 9137-7754. 10h/16h (fecha dom.). Cc: A, D, M e V. Cd: M, R e V.

 

Ravióli verde recheado de mussarela de búfala: R$ 55,00 o quilo, na rôtisserie do restaurante

 

A pasta que basta

Eleito o melhor italiano da cidade pelo júri de VEJA COMER & BEBER, o Pasta em Casa passou por uma reforma em outubro de 2014. Agora com dois andares, reserva o piso superior para o restaurante, no qual brilha a chamada ilha de massas. Estrela do almoço, ela reúne sempre três sugestões — que incluem o ravióli de mortadela com laranja e as lasanhas de berinjela e quatro queijos, por R$ 34,50, para consumir à vontade. O preço sobe para R$ 46,50 quando o cliente reforça o prato com a opção de carne do dia, que pode ser a polpetta de cordeiro. No serviço de rôtisserie, que funciona no térreo, são vendidas 25 massas artesanais pré-cozidas e embaladas a vácuo, para preparar em casa. Entre elas, o ravióli verde recheado de mussarela de búfala custa R$ 55,00 o quilo — quantidade suficiente para até cinco pessoas. Se a turma dividir a conta, dará para levar ainda uma porção de molho sugo (R$ 25,00) e uma garrafa do vinho Penedo Borges Malbec (R$ 42,50).

Rua Professora Almerinda Dultra, 67, Rio Vermelho, 3334-7232. 9h/19h. Cc: D, M e V. Cd: M, R e V.