Gastronomia

Onde comer as melhores moquecas

Seis restaurantes imperdíveis para provar o tradicional ensopado

A moqueca de camarão do Donana: prato farto para ser compartilhado

A moqueca de camarão do Donana: prato farto para ser compartilhado

02.fev.2015 19:41:12 | por Jennifer Detlinger

Aconchego da Zuzu
Casquinha de siri (R$ 29,50) e abará servido com caruru, vatapá e camarão, abrem a refeição na companhia da caipirosca de jabuticaba (R$ 13,00). Depois é hora de optar pela moqueca de arraia e polvo com arroz (R$ 72,90), farofa e pirão. A tradicional receita também pode ser feita com camarão (R$ 71,90) ou peixe mais siri catado (R$ 74,90). Todas servem duas pessoas e chegam à mesa com as mesmas guarnições.  Na segunda (16), a casa vira palco de concentração dos foliões que participam da Mudança do Garcia, bloco criado pelos moradores do bairro, que em 2015 comemora oitenta anos.
Rua Quintino Bocayuva, 18, Garcia, (71)3331-5074. 12h/15h (qui. e sex. sem intervalo até 0h; sáb. e dom. só almoço até 18h).

 

Bem servida, a moqueca ana bueno, da Casa de Tereza (Foto: Ligia Skowronski)

 

Casa de Tereza

Localizado no burburinho do Rio Vermelho, o restaurante ocupa um casarão erguido em 1836. Ali, a chef Tereza Paim propõe um menu focado no uso criativo dos ingredientes do estado, que brilham aos olhos do cliente na moqueca ana bueno  (R$ 110,00, para duas pessoas). A receita leva polvo, camarão, peixe (beijupirá, badejo ou dourada), banana-da-­terra e é guarnecida de arroz, mandioca cozida, pirão e farofas de dendê e de manteiga. Vai bem para acompanhar a caipirinha da casa, mistura de cachaça com cravo, caju e limão (R$ 21,00).
Rua Odilon Santos, 45, Rio Vermelho, (71) 3329-3016. 12h/18h.

 

Moqueca de pirão do Dona Mariquita: peixe, camarão fresco e camarão defumado (Foto: Ligia Skowornski)

 

Dona Mariquita

O agradável salão da casa exibe flores e luminárias produzidas com palha de buriti. Assada na folha de bananeira, a moqueca de pirão leva peixe, camarão fresco e camarão defumado com farinha e acaçá de leite (R$ 100,00, para dois). Para encerrar, o bolinho de estudante (R$ 12,00 quatro unidades) faz companhia para a batida do diolino, que leva tamarindo e cachaça (R$ 5,00).
Rua do Meio, 178, Rio Vermelho, (71) 3334-6947/6988. 12h/17h.

Donana

A proprietária, Ana Raimunda Silva, responde pela cozinha na companhia dos quatro filhos. Feita em porções generosas, a moqueca aplaca a fome de duas pessoas na versão de camarão, a mais requisitada do cardápio. À base de tomate, cebola, pimentão, coentro, alho, limão, cominho, leite de coco e azeite de dendê, ela sai por R$ 74,90 e é acompanhada de um combo de fartura: caruru, vatapá, pirão, feijão-fradinho e farofa de dendê.
Rua Avenida Teixeira Barros, boxes 1 a 7, Brotas, (71) 3019-7840 e 3351-8216. 11h30/17h (qui. a sáb. até 0h; fecha seg.). | Avenida Praia de Itapoan, quadra 4, lote 6, Villas do Atlântico, (71) 3379-4364 e 3024-6308. 11h30/17h (sex. e sáb. até 18h; fecha seg.).

Yemanjá
Baianas com vestes tradicionais recebem os clientes, que se acomodam no salão envidraçado com vista para o mar. Da cozinha sai a moqueca mista com pescada-amarela (R$ 129,90) ou com polvo (R$ 142,00), ambas para dois, guarnecidas de arroz, farofa e pirão. De sobremesa, tem cocada branca e preta, a R$ 11,00 cada uma.
Avenida Octávio Mangabeira, 4661,  Jardim Armação, (71)3461-9010. 11h30/0h30.

 

Paraíso Tropical
O inventivo Beto Pimentel segue à frente das panelas, que só convivem com ingredientes naturais, a exemplo do dendê retirado do próprio fruto e da polpa do coco verde. Ambos entram na receita da moqueca de siri-mole, siri catado, camarão e maturi, que chega à mesa escoltada por arroz com ervas, farofa de manteiga, farofa de dendê, aipim cozido e molho de biri-biri (R$ 145,00, para duas pessoas). No arremate, uma seleção de frutas da época ou o doce de banana enrolado na palha de bananeira são entregues como cortesia.
Rua Edgard Loureiro, 98-B, Cabula, (71) 3384-7464. 12h/22h (dom. até 17h; fecha. seg.).