Chef do ano

Guto Lago

A experiência europeia e o interesse por ingredientes brasileiros caracterizam o trabalho do cozinheiro à frente do Villa Bahia

Guto Lago: da farmácia para a cozinha

Guto Lago: da farmácia para a cozinha

17.jul.2015 15:37:49 | por Renata Helena Rodrigues

A conversa mansa e o jeito tímido não deixam transparecer a inquietude criativa de Guto Lago, um soteropolitano de 44 anos, que foi dono de farmácia antes de abraçar o ofício de panelas. O caminho até a cozinha teve início em 2008, quando ele ingressou no curso de gastronomia da Faculdade Ruy Barbosa. Dois anos depois, Lago vendeu o negócio e partiu para São Paulo – o plano inicial, cursar a extensão de cozinheiro chef internacional no Senac Águas de São Pedro, no interior do estado, foi deixado de lado. Em seu lugar, ele arrumou as malas e seguiu para a Espanha. Por dois anos, frequentou aulas de cozinha executiva e criativa na Universidade de Barcelona, onde foi aluno de grandes nomes da gastronomia espanhola, entre eles o vanguardista Ferran Adrià. Na Catalunha, teve ainda a oportunidade de trabalhar por mais de um ano no duas-estrelas Michelin ABaC, do chef Jordi Cruz. Em 2013, ao regressar à terra natal, Lago assumiu o restaurante do Villa Bahia e, de quebra, agregou novas possibilidades para uma refeição bem feita no Pelourinho. No almoço, em um menu executivo (R$ 49,00) considerado o melhor da cidade pelos jurados de VEJA COMER & BEBER nesta edição, ele entrega uma sequência de três pratos, que pode começar, por exemplo, pela delicada sopa de tomate com pimentão defumado, batata e chouriço português e continuar com o bobó de camarão ao perfume de manga, levado à mesa ao lado de arroz com amendoim. O bom uso das técnicas culinárias aprendidas na Europa e a preocupação em fazer seus clientes comer também com os olhos fica evidente ainda no menu regular disponível e no almoço e no jantar. Entre suas sugestões estão entradas como o ovo mollet servido sobre creme de cogumelos frescos (R$ 28,90) e, na etapa principal, o pirarucu assado em folha de bananeira, guarnecido de vinagrete de pupunha, banana-da-terra assada e farofa de beiju (R$ 78,90).

 

+ Villa Bahia: o melhor menu de almoço por até 50 reais

+ Confira os estabelecimentos preferidos do leitor