Especial

A rota do vinho na Serra Gaúcha

VEJA COMER & BEBER visitou as principais vinícolas da região para descobrir o que elas oferecem aos visitantes. Além de passeios guiados, dá para fazer piquenique em meio ao parreiral e degustar vários rótulos sem gastar um tostão. O roteiro inclui belos cenários em Bento Gonçalves e nas vizinhas Pinto Bandeira, Flores da Cunha e Cotiporã

07.mai.2015 17:53:53 | por Anelise Zanoni

ALMAÚNICA

A vinícola mais jovem do Vale dos Vinhedos tem sua sede no topo de uma colina. Os olhos percorrem os parreirais até chegar ao prédio envidraçado onde os irmãos Magda e Marcio Brandelli recebem os visitantes. Durante uma hora é possível conhecer as caves e participar de uma degustação de até doze rótulos, incluindo o premium Quatro Castas, feito com malbec, shiraz, merlot e cabernet sauvignon. O passeio custa R$ 30,00, valor que pode ser revertido em compras na loja. Para grupos de vinte a trinta pessoas e sob encomenda, Magda prepara jantares harmonizados.

RS-444, quilômetro 17, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, (54) 3459-1384. 8h/12h e 13h/17h30 (sáb. e feriados 10h/12h e 13h30/17h30; dom. 10h/13h). www.almaunica.com.br.

 

VALLONTANO

Fundada há dezesseis anos, a vinícola tem uma produção pequena, estimada em 45 000 garrafas por ano. Embora esteja fechada para visitas, mantém ao lado do prédio principal um bistrô para refeições e provas gratuitas de taças de cabernet sauvignon, merlot, tannat, chardonnay e espumantes. No comando das panelas, Gerson Brum prepara risoto feito com cabernet sauvignon, iscas de filé-mignon e queijo parmesão (R$ 28,00).

RS-444, quilômetro 16, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, (54) 3459-1006. 11h/17h (fecha seg.). www.vallontano.com.br.

 

Lovara: concorridas noites de fondue custam R$ 85,00 por pessoa (Foto: Divulgação)

 

+ VEJA Comer & Beber 2015/2016: conheça os campeões em 25 categorias, entre restaurantes, bares e pontos de venda de comidinhas

 + Doze coisas que só quem é gaúcho vai entender

 

LOVARA
Um prédio de arquitetura moderna emerge entre as parreiras enraizadas na zona industrial de Bento Gonçalves. Fundada em 1967 pelas famílias italianas Benedetti e Tecchio, a vinícola preserva um casario antigo, construído com pedra. Nesse espaço, serve uma concorrida fondue nas noites de quinta e sexta, das 19h às 22h, mediante reserva. Custa R$ 85,00 por pessoa e inclui uma taça de vinho. Aos sábados, também recebe visitantes no período da tarde para petiscar pães italianos recheados e provar os vinhos da casa (R$ 28,00).
Rua José Benedetti, 222, Salgado, Bento Gonçalves, (54) 2102-9005. 9h/17h. www.lovara.com.br.
 

LARENTIS

A história da marca começa com a chegada de Arcângelo Gabriele Larentis ao Brasil, em 1876. Ele emigrou de Trento, na Itália, rumo às terras que hoje compõem a região de Bento Gonçalves. Atualmente, sua vinícola abre as portas ao público para degustações grátis. Doze rótulos podem ser desarrolhados, incluindo os espumantes e o tinto Cepas Selecionadas, de uvas marselan. Aos sábados e domingos, os parreirais servem de cenário para piqueniques que custam R$ 45,00 por pessoa, mediante reserva. O público recebe um chapéu de palha e uma cesta com pães, geleias, queijos e um vinho.

Linha Leopoldina, s/nº, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, (54) 3453-6469. 9h/11h30 e 13h/17h (sáb., dom. e feriados 9h/17h). www.larentis.com.br.

 

DOM CÂNDIDO

Até 2014, era o próprio Cândido Valduga, irmão do proprietário da famosa Casa Valduga, que percorria os vinhedos com os turistas. Hoje, seus filhos assumiram a missão de contar detalhes da saga dessa linhagem da família nas visitas guiadas pela propriedade e sem custo. No jantar harmonizado do restaurante Mamma Lourdes, instalado na vinícola, provam-se clássicos cantineiros, como espaguete à bolonhesa, polenta e galeto (R$ 120,00 por pessoa).

Linha Leopoldina, s/nº, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, (54) 2521-3500. 9h/17h30. www. domcandido.com.br.

 

LÍDIO CARRARO
A empresa familiar pratica a viticultura há cinco gerações e coleciona elogios de publicações importantes, como a inglesa Decanter Magazine e o jornal alemão Die Zeit. O tour é guiado por algum membro da família Carraro e deve ser feito com agendamento prévio. O público conhece os detalhes do processo de elaboração dos vinhos e degusta seis garrafas premium. Custa R$ 25,00, e o valor pode ser revertido em compras na loja.
RS-444, quilômetro 21, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, (54) 2105-2555. 9h/18h. www.lidiocarraro.com.
 
 
Casa Valduga: a marca reúne mais de 300 prêmios no currículo (Foto: Alan Birck)
 
 
CASA VALDUGA
Prédios históricos, ladeiras e caminhos de basalto formam o cenário do primeiro complexo turístico do Vale dos Vinhedos. A estrutura reúne cinco pousadas, loja de vinhos e restaurante. Com mais de 300 prêmios no currículo, a marca oferece programas para todos os bolsos. O tour tradicional (R$ 25,00) tem duração de uma hora e meia e degustação de cinco exemplares. Mais completo e feito somente mediante reserva, o programa Segredos do Mundo do Vinho (R$ 80,00) leva quatro horas. Nele, um enólogo detalha as técnicas de plantio e envelhecimento da bebida, acompanha os visitantes em um passeio pelos parreirais e, no fim, dá dicas de degustação. Para prolongar a experiência, o restaurante Maria Valduga serve refeição cantineira a R$ 68,00 por pessoa.
Linha Leopoldina, CP 579, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, (54) 2105-3154. 9h30/18h (dom. e feriados até 17h). Restaurante: 12h/15h (fecha seg.). www.casavalduga.com.br.
 
 
 
CAVE DE PEDRA
Feito de basalto em 1997, o grande castelo de inspiração medieval se destaca em meio ao terreno repleto de videiras. Com uma produção de 50 000 garrafas anuais, a marca guarda seus tintos em barricas de carvalho. Depois, já envasados, eles repousam em caves subterrâneas. A especialidade da casa, porém, são os espumantes, elaborados pelo método champenoise, cuja segunda fermentação ocorre na garrafa. O roteiro de visita (R$ 15,00) perpassa todas essas dependências do castelo. Por fim, é possível conhecer um pequeno vinhedo com as principais uvas cultivadas e provar cinco rótulos da casa. Além da loja de vinhos, há um pequeno empório, com biscoitos, geleias e produtos feitos com leite de ovelha.
Linha Leopoldina, 315, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves, (54) 3459-1267. 8h/17h (sáb. e feriados 9h30/18h30; dom. 9h30/17h). www.cavedepedra.com.br.
 
 
 
DAL PIZZOL
Reserve um dia inteiro para aproveitar a estrutura do parque temático da vinícola, cuja entrada é grátis. A área de 80 hectares contempla um pequeno museu sobre a cultura do vinho, uma loja com rótulos próprios e jardins por onde ciscam pavões e gansos. Os atrativos não param por aí: uma enoteca guarda uma coleção de exemplares desde a fundação da marca, e o vinhedo exibe mais de 350 cepas de uva. Além da área de lazer, o Ristorante Enoteca Dal Pizzol serve refeições para grupos a partir de vinte pessoas em um salão com vista panorâmica para um lago. O cardápio inclui entrada, cinco pratos e uma sobremesa (R$ 110,00 por pessoa, mediante reserva).
RS-431, quilômetro 5, Faria Lemos, Bento Gonçalves, (54) 3449-2255. 9h/11h40 e 13h30/17h (sáb., dom. e feriados 10h/16h30). www.dalpizzol.com.br.
 
 
Salton: o roteiro Standart inclui um passeio pela plantação (Foto: Alan Birck)
 
 
 
SALTON
É comum encontrar grupos de excursão na centenária vinícola, que reúne bons atrativos turísticos. Na rua estreita onde está o prédio principal, um pequeno vinhedo exibe algumas variedades de uva. Do parreiral, avista-se a grande construção decorada com arabescos e cercada por um jardim. Partindo dali, o roteiro Standart (R$ 10,00) dura trinta minutos, com degustação de quatro rótulos e passeio pela plantação e por outras dependências da propriedade. Mais completo, o tour Evolução (R$ 50,00) leva duas horas e inclui a visita à nova cave, aberta em setembro de 2014. Instalado a 8 metros de profundidade, o espaço recebe apenas doze pessoas por vez. No término do percurso, o grupo é levado a percorrer um labirinto até chegar a uma sala reservada, onde são provados cinco exemplares da grife.
Rua Mário Salton, 300, Tuiuty, Bento Gonçalves, (54) 2105-1060. 9h/16h (sáb. 10h/16h; dom. 11h/16). www.salton.com.br.
 
 

Argenta: no passeio, é possível escolher qualquer ponto da vinícola para fazer um piquenique (Foto: Divulgação)

 

ARGENTA

A sede foi construída sobre uma rocha encravada na região de Alto dos Montes, em Flores da Cunha. Assinado pela arquiteta Vanja Hertcert, o projeto ficou pronto em 2009, dez anos após o início da produção de vinhos da grife, conduzida pelos irmãos Deunir e Itacir, filhos do fundador, Luiz Argenta. Vislumbrar o horizonte verde em contraste com as formas modernas já vale o passeio, em que se podem degustar cinco exemplares da marca. Custa R$ 20,00, e o valor é revertido em bônus de compras na loja. Para desfrutar um momento mais contemplativo, qualquer ponto da vinícola pode ser escolhido para fazer um piquenique. O programa inclui uma garrafa de vinho e cesta repleta de quitutes (R$ 100,00, para dois).

Avenida 25 de Julho, 700, Flores da Cunha, (54) 3292-4477. 9h30/12h e 13h10/18h. www.luizargenta.com.br.

 

CAVE GEISSE

Há 35 anos, o engenheiro chileno Mario Geisse identificou o potencial da região para o cultivo de uvas finas usadas na fabricação de espumantes. E acertou. A produção anual de 200 000 garrafas costuma render prêmios. Em 2014, o Cave Geisse Brut e o Cave Amadeu Brut conquistaram medalhas de ouro no concurso Vinalies, na França. A história bem-sucedida da casa é contada no tradicional roteiro de visita com degustação – o preço varia de R$ 20,00 a R$ 70,00, dependendo da quantidade de espumantes. A novidade da temporada, no entanto, chama-se Geisse Experience, um passeio em um carro 4x4 (R$ 70,00 por pessoa). Depois do sobe e desce pelos vinhedos, chega-se a um píer de madeira sobre uma cascata, onde o público brinda a aventura com taças da bebida.

Linha Jansen, s/nº, Pinto Bandeira, (54) 3455-7461. 9h/11h30 e 13h/17h (sáb. e dom. 10h15/16h15). www.vinicolageisse.com.br.

 

DON GIOVANNI

A propriedade adquirida pelo casal Ayrton e Beatriz Giovaninni em 1982 oferece um passeio pela plantação seguido de degustação (R$ 15,00; o valor pode ser revertido em compras). No fim da tarde, o mirante da vinícola proporciona um pôr do sol de tirar o fôlego. Com sete apartamentos, a pousada, instalada em um casarão de 1930, tem dois andares, ambos repletos de objetos pessoais dos Giovaninni. O restaurante promove jantares harmonizados, mediante reserva.

VRS-805, quilômetro 12, Pinto Bandeira, (54) 3455-6293. 9h/11h30 e 13h/16h (sáb., dom. e feriados 9h/16h). www.dongiovanni.com.br.

 

Miolo: tábua de frios com embutidos, queijos e frutas secas por 42,00 (Foto: Anelise Zanoni)

 

MIOLO

A marca, que produz em média 12 milhões de garrafas de vinhos finos por ano, promove passeios guiados pelos vinhedos. Uma degustação de diversos exemplares encerra a visita, que dura cerca de uma hora (R$ 15,00). Desde fevereiro de 2015, a grande novidade é o programa Wine Garden, oferecido nos fins de semana (10h/18h30). No estilo piquenique chique, turmas de amigos e casais sentam-se em tapetes de couro sobre a grama. Protegido pela sombra das árvores, o público saboreia aperitivos preparados em um ônibus adaptado. A tábua de frios com embutidos, queijos e frutas secas custa R$ 42,00, para três. Garrafas de Miolo Brut Millésime (R$ 75,00) e RAR Collezione Pinot Noir (R$ 62,00) podem ser desarrolhadas para o brinde.

RS-444, quilômetro 21, Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves,  (54) 2102-1540. 8h30/18h (dom. 10h/17h). www.miolo.com.br.

 

MARSON

Originária de Treviso, no Vêneto, a família italiana que dá nome à vinícola se instalou na região em 1887 e hoje coleciona cerca de noventa premiações no currículo. Para inserir o visitante nessa história, um roteiro de cinquenta minutos costuma ser montado exclusivamente para grupos e propõe uma aula sobre cultivo de uva. Mais simples, a visita com degustação de cinco rótulos (R$ 5,00) ocorre na adega, construída em 1939.

Linha Frei Caneca, s/nº, Cotiporã, (54) 3446-1318. 8h/11h30 e 13h30/18h (sáb. 8h/11h30 e 14h30/18h; dom. e feriados apenas com agendamento). www.cavemarson.com.br.