Publicidade

Postado em 23/09/2015 por Jennifer Detlinger | Comentários

Dia do Sorvete: 13 lugares para comemorar nesta quarta (23)

As altas temperaturas registadas em boa parte do país neste início de primavera são um incentivo a mais para comemorar o Dia do Sorvete – 23 de setembro – escolhendo sem culpa picolés, paletas e cremosos gelados. Na lista a seguir, selecionamos treze endereços reconhecidos pela qualidade de seus sorvetes, alguns deles premiados por Veja Comer & Beber. Há casas em São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador, Recife e em outras cidades. Confira!

Casa Elli – São Paulo

Pote de sorvete de chocolate amargo sem leite da Casa Elli, no Jardim Paulista.

Instalada em um charmoso espaço nos Jardins, a casa ajudou a tornar o bairro um reduto de sorveterias ao estilo italiano. Dos mais de setenta sabores feitos com ingredientes de qualidade e frutas orgânicas, vinte ocupam os pozzetti diariamente. Eles podem guardar cremosas opções como pistache, nozes com figo ou cereja amarena. O amarguinho cioccolato fondente, porém, rouba todas as atenções. A massa feita apenas com chocolate belga 70%, cacau em pó, água, açúcar e estabilizante à base de algas japonesas, sem a adição de leite, é a mais pedida pelos clientes.

+ As melhores sorveterias de São Paulo

 

Frida & Mina – São Paulo

Sorvetes_ Versão de chocolate_ vela cacau brasileiro da Amma; Paladar agridoce_ morango ao vinagre balsâmico; Chocolate e cerveja escura; sorvete de cramelo, da Frida & Mina, em Pinheiros.

Quando abriu as portas, esta pequena sorveteria comandada pelo casal Fernanda Bastos e Thomas Zander estabeleceu um novo patamar de exigência para produtos artesanais. O capricho dos proprietários é respondido pela clientela com filas constantes (exceto no domingo, dia de descanso por lá). As opções variam bastante de semana a semana, mas as favoritas do público, como açúcar mascavo, morango com vinagre balsâmico e doce de leite, costumam marcar presença.

 

Sorveteria do Geraldo – Ribeirão Preto (SP)

SORVETERIA DO GERALDO - RIBEIRAO PRETO

Hoje uma figura ilustre da cidade, o simpático mestre-sorveteiro Geraldo Caramori cuida pessoalmente do preparo dos gelados servidos nas duas unidades da sorveteria inaugurada nos anos 60. Tudo ali é feito de maneira artesanal, com frutas frescas que ele mesmo compra nos sacolões e supermercados da cidade. Ameixa, coco, abacaxi, morango, goiaba e cajámanga estão entre os sabores à base de uma única fruta. Há também receitas como amendoim, abóbora com coco, maçã e canela, café mais chocolate, doce de leite, gengibre, nata, pistache… Faça chuva ou faça sol, sempre tem gente nos dois endereços e, no verão, chegam a ser vendidos 500 litros de sorvete por dia.

 

Vero Gelato Italiano – Rio de Janeiro

pal 2

Empreitada de Andrea Panzacchi, italiano de Bolonha, a Vero tem sistema de produção extremamente artesanal. No sabor de pistache, a matéria-prima importada de Bronte, na Itália, apresenta equilíbrio perfeito com a quantidade de leite e açúcar. Caramelo com flor de sal, manga com maracujá e tiramisu também rendem colheradas deliciosas.

 

Saborella – Brasília

oi

Mesmo com o boom de sorveterias de estilo italiano na capital, a Saborella permaneceu como a favorita do júri na última edição de Veja Comer & Beber. Em quase vinte anos de atividade, o rigor na produção das receitas e na busca por bons ingredientes continua o mesmo. O cuidado no preparo dos gelados fica evidente na descrição dos sabores: nozes de Sorrento, pistache do Irã, avelã do Piemonte, cacau de São Tomé e Príncipe e açaí do Pará. Uma das invenções ganhou o nome de cariri e traz castanha-de-caju torrada com mel de engenho.

 

Alesso Gelato & Caffê - Belo Horizonte

20140502_GUA5461_1

O método de fazer gelatos cremosos e sem ingredientes artificiais é seguido rigorosamente aqui. As versões que levam frutas têm a polpa natural retirada pelo mestre-sorveteiro Mario di Rauso. A consequência disso são as primorosas receitas de sorvete e sorbet. Pistache, framboesa e doce de leite figuram na lista dos mais pedidos (foto), ao lado do de mascarpone que mistura o queijo com frutas vermelhas.

 

A Cubana – Salvador

cubana

Parte da vida dos soteropolitanos, a sorveteria mais antiga de Salvador também entra no roteiro de praticamente todo turista que visita a capital baiana: sua matriz fica na porta do elevador Lacerda, na Cidade Alta.  O sorvete de coco é feito a partir do leite extraído da polpa do fruto seco, que é ralada e prensada. Assim como ele, conquistam o paladar de gerações há décadas as versões de manga e pitanga.

+ Os melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de Salvador

 

Cuordicrema – ABC

cuordi

A única loja fora de São Paulo, que fica ParkShopping São Caetano, abocanhou dois prêmios na edição de Veja Comer & Beber ABC: o de melhor sorvete e novidade do ano. Assim como nos endereços paulistanos, as receitas da sorveteria ficam armazenadas em recipientes de metal, protegidas da luz e do calor. Mas basta pedir à atendente para provar o refrescante gelado de maracujá ou o de chocolate com sal rosa do Himalaia.

 

Degusta Paleteria Mexicana – Recife

pal

Aberta em outubro de 2014 por iniciativa de um catarinense, uma gaúcha e uma paulista, a casa levou o primeiro prêmio dedicado à sua especialidade pelo júri de Veja Comer & Beber neste ano. Entre os trintas sabores da marca, nenhum é páreo para a versão de morango recheada de leite condensado. Mas outras mais simples, à base de água, também costumam fazer sucesso por ali, como a de maracujá e a de açaí.

 

Max Gelateria – Santa Catarina

MAX GELATERIA 002

Preparados diariamente em maquinário italiano, os sorvetes aparecem em trinta variações. Entre elas, costumam preencher as casquinhas as receitas de pistache, mascarpone e baunilha. Há também deliciosas sugestões à base de frutas, como morango e frutas vermelhas.

 

Paleteria – Curitiba

pal 2

Em uma fábrica no Parolin, a marca produz artesanalmente, desde 2011, cerca de cinquenta sabores. Versões simples à base de água dividem espaço nos coloridos refrigeradores com as cremosas de pistache, chocolate branco com morango, napolitana e morango cremosa.

 

Sorveteria Juarez – Fortaleza

Sorvetes-de-Capim-Santo,-Tamarindo-e-Cajá__089

Esqueça os sorvetes à moda italiana: nesta casa, faz quatro décadas que João Juarez Albuquerque, de 89 anos, se põe de pé às 4 da manhã e segue para a Ceasa em busca das frutas frescas usadas no preparo dos afamados gelados. A lista inclui sabores como capim-santo, tamarindo e maracujá – todos preparados sem emulsificantes, corantes e outros aditivos, como Juarez faz questão de anunciar.

 

Troppo Buono – Porto Alegre

FRUTAS VERMELHAS E  MARACUJA  - TROPPO BUENO - PORTO ALEGRE

É nas mãos da veterana Troppo Buono que repousa o título de melhor sorvete de Porto Alegre, eleita pelo júri da edição mais recente de Veja Comer & Beber. Entre as boas escolhas estão o dark, com 70% de cacau, e o creme russi, de baunilha e pedaços de biscoito de chocolate. Versões mais simples (foto), como a de maracujá e a de frutas vermelhas também atraem o paladar da clientela.

 

+ Ah, eu sou gaúcho!

+ 12 coisas que só quem é gaúcho vai entender

 

Comentar sobre "Dia do Sorvete: 13 lugares para comemorar nesta quarta (23)"





Publicidade

Publicidade

Publicidade