(Foto: Ligia Skowronski)

Restaurantes > Cozinha amazônica

Saldosa Maloca

Endereço: Ilha do Combu, s/nº - Ilha do Combu - Belém

Telefone: (91)9982-3396

  • Funcionamento

    10h30/18h (sáb., dom. e feriados)
  • Preço

    de R$ 51,00 a R$ 75,00
  • Pagamento

    • Cartões de crédito (American Express, Dinners, Mastercard, Visa)
    • Cartões de débito (Maestro, Rede Shop, Visa Electron)
  • Serviços

    • Área para fumantes
    • Atividades para crianças
    • Levar vinhos (permite)
    • Lugares/Capacidade
      (total 150)

Resenha

O gentílico "combuense" não existe no dicionário, mas Prazeres Quaresma dos Santos, a Neneca, costuma usar esse neologismo para definir orgulhosamente sua origem. O lugar em questão é a tranquila Ilha do Combu, nos arredores de Belém, onde Neneca nasceu e foi criada. Durante a infância, ela viu seus pais montar o Saldosa Maloca (assim mesmo, com "l") às margens do belo Rio Guamá, com a intenção de receber os turistas que se dispunham a uma travessia de quinze minutos de barco. Da tímida estrutura inicial, com apenas vinte mesas, pouco resta: o rio avançou, o restaurante aumentou e o movimento aos domingos ultrapassa 400 pessoas. Continuam as mesmas, porém, as vistosas samaumeiras, fincadas por lá há quase quatro séculos. Essas imensas árvores se destacam entre os pés de cupuaçu, bacuri e cacau - esse último, fonte do famoso chocolate produzido na ilha. Neneca cuida da administração do restaurante e, boa de papo, apresenta aos visitantes as peculiaridades da terra. Enquanto isso, sua irmã, Kelly, cuida da cozinha, onde trabalha com mais nove funcionários. O cardápio ressalta receitas típicas, como as iscas de pirarucu (R$ 39,80), servidas na companhia de vinagrete e farofa em porção suficiente para compartilhar. Na sequência, a caldeirada de filhote com tucupi, batata, tomate, camarão, cebola e ovo chega à mesa com pirão e arroz (R$ 85,30, para duas pessoas). De dezembro a fevereiro e entre junho e julho, o suco de cacau sai bem fresco, feito com a fruta colhida na hora. Nos outros meses, taperebá, graviola e cupuaçu preenchem os copos (R$ 6,20, 300 mililitros). De sabor marcante, o chocolate local entra na composição do brigadeiro (R$ 2,50) para encerrar a refeição.

Os preços e demais informações foram apurados entre os meses de julho e setembro de 2014.